quarta-feira, outubro 15, 2008

Obrigado mãe...

Não me lembro se chovia naquela noite. Três anos, 2 meses e 5 dias depois, lembro-me com a memória do ouvir dizer: trovejava. Naquela noite não me lembro... Os corredores eram longos e a hora avançada. A mão que me tocou era rude latex. A mão mordida, até hoje marcada a dentes caninos e pré-molares, veias fibrosadas, sinais castanhos dispersos, pele seca com cheiro intenso amoniacal. Deitada chorava, pedia ajuda, tentava expulsar a dor e a angustia, só o amoníaco ajudou a suportar a dor de se libertar do que era seu, do que lhe estava dentro mas não era para estar... Ainda não era altura de sair, mas queria... nessa tentativa de fuga, como em tudo: hesitava, voltava costas para as saidas... queria evadir-se, apressada, num impulso, contudo pos-se de costas... Se calhar mais um bocadinho não fazia mal... assim sofria, perdia capacidade vital, debilitava quem a continha, quem lhe abria as portas e lhe mostrava o caminho... Vem é por aqui. Não é seguro, não é facil, até convém que chores bem alto quando vires a realidade. É a única saida... ou isso ou a inercia, a não decisão, o ficares aqui dentro, enrolada sobre ti mesma. Conduzes-te à morte, minha e possivelmente minha, ao sofrimento de quem (já/ainda) te ama. Sai dai! Mostra-te ao mundo! Deixa-te tocar, e chora, grita depois ri, sofre com o rebentar das gengivas, podes sempre bolsar no meu ombro... Quando caires por não saberes andar, eu tomar-te-ei nos meus braços... Sai daí! Oferece ao mundo o teu potencial! Oferece-te Plena, Pura, Real, a ti mesma a ti! Nem sempre saberei ver o que me ofereces... Mas tu saberás! Não me lembro se chovia naquela noite, nem sequer de memória de ouvir dizer! Hoje 30 anos depois não chove lá fora... cá dentro está quente, mas teimo em ter umas infiltrações que a qualquer momento me sujam as paredes!

3 comentários:

Maria João disse...

Andas a escrever cada vez melhor.. safa! Sinto saudades tuas... Beijos

ELOQUENTE disse...

Não nos conhecemos!
Venho ao teu blog com alguma frequência...este texto envolveu-me bastante. Extraordinário. Obrigado

particula disse...

maria joão:eh pá! e agora? estás a ironizar certo? ês tão má! sabes da minha dificuldade em pontuar a vida, em por a tónica certa, os erros que teimo em repetir,em por os pontos nos is...agora vires aqui a público... não se faz! :)
é pró natal certo?
Acreditas que também tenho saudades?! beijo


Eloquente: :) olá! gosto que se manifestem! e que gostem do que escrevo, tenho um ego que gosta ainda mais que eu de ser afagado!
por isso obrigado eu pelas tuas palavras!